segunda-feira, 29 de março de 2010

Um alemão no jogo da Caldense

Dia 28/03, cidade de Poços de Caldas, última rodada da primeira fase do campeonato mineiro, estádio do Ronaldão. Jogo importante para a Caldense decidindo sua estadia na primeira divisão contra o América de Teófilo Otoni.

Este jogo não iria ser diferente de todos os outros: ruins. Pelo menos é o que eu imaginava.

Mas, voltando um pouco, não sei se todos sabem, mas Poços de Caldas é famosa também pelo paraglider. E, assim sendo, o pessoal conheceu um alemão que veio a Poços para treinar para um campeonato que está por vir. Por razões óbvias treinar ficava em segundo plano já que sempre havia um plano definido para cachaçar. E alemão gosta pouco de beber...

Bem, em resumo, levei o cara pra ver o jogo da Caldense. Pelo caminho resumi a história do time e do campeonato, falei que o jogo era importante e que, provavelmente, iria ser muito ruim.

Chegando ao Ronaldão ele me perguntava como que as pessoas podiam não ir a um jogo tão importante. Eu ficava sempre sem saber o que responder, sempre. Mas, afinal, o que importava mesmo era a diversão.

Início de jogo, os dois times tentando lutar para alcançar algum futebol. Toda torcida xingando o time adversário, o juiz, bandeiras, gandula, maqueiros, a própria caldense. E o alemão me perguntando: mas por que ele não tocou a bola ali do lado?????? Eu não sabia o que responder.

Gol da caldense. Galera vibrando. Alemão aplaudia. Ele até estava achando o jogo bom. Aí segundo gol da Caldense, galera empolgada, até passaram a incentivar o time.

Intervalo, o alemão me perguntava: mas toda hora cai alguém, por quê? Aí entram aqueles dois caras, tiram o jogador e ele sai andando???!?!? Por quê? Eu não sabia o que responder.

Começa o segundo tempo, Caldense perde um jogador, toma 2 gols. Hahaha. Decepção. O alemão me pergunta o que aconteceu porque parecia outro time em campo. Nem preciso dizer que não sabia o que responder.

Em resumo, a Caldense fez a gente sofrer e ganhou. 4 a 3 em cima do América de Teófilo Otoni. Ao fim do jogo os dois times sabiam que estavam garantidos na primeira divisão e que ali terminava o campeonato para eles. Assim, pararam de jogar e pediram pro juiz terminar a partida.

Mas ao sair do jogo o melhor de tudo foi o comentário do alemão: o jogo foi bom, eu gostei, mas toda hora eu só entendia o povo gritando "puta", "filho da puta". Por quê? Mais uma vez fiquei sem saber o que responder.

Ê beleza, esse é nosso futebol.